Joana

Olá!

Bem-vinda ao a(m)arte blog, que nasce da vontade de contar a minha história, como mulher portadora da síndrome Mayer-Rokitansky-Küster-Hauser, mas não só. É o ponto de encontro de várias histórias e informação útil que vai ajudar todas as mulheres, em especial as que na sua viagem levam o peso da (in)fertilidade.

Um espaço inteiramente de partilha e dedicado a nós mulheres, que nos devemos amar com as nossas (im)perfeições.

a(m)arte é a arte de ser mulher, de nos amarmos na plenitude.

Dia da Mãe.

Dia da Mãe.

É engraçado como uma palavra tão pequena, diz tanto.
Três letras profundas, que aconchegam calorosamente a alma.

Eu sinto-me feliz e grata por conhecer o verdadeiro sentido da palavra mãe.

A minha mãe, é uma das pessoas mais importantes na minha vida, é a minha inspiração. Foi mãe jovem, estreou-se na maternidade com uma menina, a minha irmã Lilocas Bombocas, mais conhecida por Catarina (porque não gosta de Liliana), passado três anos, mais uma menina, eu.
Sempre tive a minha mãe por perto, apesar de não lhe contar a minha vida toda, temos uma grande proximidade, sempre que me acontece alguma coisa é uma das pessoas que me vem à mente, está no top of mind, do tipo “Eu quero a minha mãe!”, e é tão bom sentir isso. Representa o verdadeiro sentido de ser mãe, que para mim, tendo o exemplo da minha, é: dar colinho, amor, aconselhar, sentir que algo não está bem e ficar atenta, preocupar-se (não precisa é ser demasiado), ser chata (só as vezes, assim de longe em longe), entre outras características. Eu na verdade não sei se algum dia vou conhecer esse papel, eu gostava, se isso acontecer que consiga desempenhá-lo tão bem como a minha mãe. Uma das frases que me marcou, apesar da sua simplicidade, foi: “Joana não se chora sobre o leite derramado.” dizia-me a minha mãe na altura que descobri a síndrome. Atualmente penso muitas vezes nessa expressão popular, dá-me força e motivação para continuar a lutar pelos meus objetivos/sonhos. Talvez a minha mãe não tenha noção, mas se eu estou bem, feliz, confiante, também é trabalho dela, por não me ter deixado desanimar.

O mais importante na viagem da maternidade são os laços entre nós, saber que em todas as paragens está lá para me abraçar com todo o seu amor.

Um dia feliz para todas as mães!

Um abraço.

Simbolo_amarte_rodape.png
Testemunho de Andreia Macedo.

Testemunho de Andreia Macedo.

A tarde foi nossa.

A tarde foi nossa.